quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Argélia - Parte 1

Eu jà escrevi sobre a minha viagem à Argélia no Bichinha, mas gostaria muito de reescrever aqui no novo Blog.
Muita gente me perguntou: "Mulher, o que tu foi fazer là no meio daqueles àrabes doidos?", e pra falar a verdade atè eu pensava da mesma forma atè que eu pisei là, porque infelizmente a mìdia sò sabe fazer publicidade negativa!

Mr. Spaghetti è um programador, e ele foi programar umas Turbinas para uma empresa alema (a qual eu jà trabalhei no passado tambèm).
Na primeira transferta, ele viu que o lugar nao era mal, visto que normalmente sò mandam ele pro deserto iraniano, tunisino, ou pro meio da floresta nigeriana! E considerando que, deram um apartamento para ele ficar (enooooorme diga-se de passagem) ele resolveu me levar.

Pegou uma carta-convite com a empresa, como se eles estivessem me convidando para uma "Consultoria", e assim contratamos uma agencia (a mesma que faz os vistos dele) para solicitar o meu Business Visa.


Entao là fomos nòs: eu, Mr. Spaghetti e a Bichinha (nossa Chihuahua), porque ela tà em todas!
Chegamos a Oran, passamos pela imigraçao e là estava o "driver" (sim, somos chiques!) nos esperando. Um argelino muito simpaticao, que falava um pouco de ingles, frances (segunda lingua oficial da Argèlia) e arabe!
Tinhamos sempre um driver disponivel para fazer compras, passeios, etc, e nem se fosse possivel alugar um carro eu dirigiria naquele caos!

Fomos batendo altos papos, e do aeroporto fomos direto fazer compras (leia-se: comida) e trocar dimdim (a moeda local è o Dinar e vale bem pouquinho: € 1,00 = DZD 100,00).

Apenas chegamos no apartamento, comecei a ouvir entoar uma musica / oraçao em arabe. Meu marido que è habituado nem se espantou, mas eu tive que registrar esse momento.



Em pratica, eles oram 5 vezes por dia. No video que eu fiz (muito mal feito por sinal), eram 20hrs. Porèm nao existe uma hora precisa, pois depende da hora em que o sol nasce, e por isso varia com as estaçoes do ano e cada uma das oraçoes tem um nome diferente.



 Imagina acordar as 05hrs da manha com esse alto falante em arabe? Pois era assim que eu acordava todo santo dia!
Os primeiros dias foram duros, mas depois me habituei. 
Chegamos em uma quinta-feira, justamente no final de semana arabe: Quinta e Sexta! 
Alèm disso, pegamos 4 dias de feriado: o Eid el kebir (Festa do Sacrificio)*.

* Eid el kebir è uma festa que dura 4 dias, e è conhecida como a Festa dos sacrificios. Apos 70 dias do Hamadan, sucede a realizacao do Hajj (a perigrinacao à Meca). Em pratica nesses quatro dias eles oram e sacrificam um cordeiro e distribuem a carne com a familia e com os pobres! Segundo o que esta escrito no Alcorao, Abraao teve que matar o seu filho em sacrificio a Allah.

Mesmo sendo um pais islamico as pessoas tem liberdade de escolha! Voce ve mulheres caminhando nas ruas sem veu e sem aqueles vestidos tipicos! Eu usava jeans / leggings con tunicas paa nao chamar muito atençao... mas com uma chihuahua no colo era impossivel passar despercebida! rs


O maior risco que se pode correr em Oran, é com os acidentes estradais! rsss Por que? Porque dirigem como loucos e ninguem respeita as regras primordiais do transito! Tanto que e considerado o terceiro maior pais do mundo em incidentes estradais!
 
 
 


A comida local era maravilhosaaaaa!!! A carne, os pratos tipicos, o pao!
Uns 10 dias apòs a nossa chegada, chegou o turno de um mecanico argelino muito bacana, com quem saimos algumas vezes.
Ele ficava impressionado e dizia ao meu marido: "Caracolhes como uma garota dessas casou com um cara como voce?!" (eu sempre trabalhei em canteiros, e acabei acostumando com homens assim: que so falam besteiras e sao mal educados: como meu marido! Ti amo amore!!! rs). Eu batia altos papos com Imad e mostrava que sabia tudoooo sobre a cultura dele e alèm disso, arriscava algumas expressoes em àrabe (ah muleke) e em frances (que tive que aprender para a minha sobrevivencia diària).

Imad nos levou para um restaurante Libanes, onde eu conhecia o cardàpio de cor! Sabe aquelas comidinhas que no Brasil a gente chama de "àrabe"? Sao pratos tipicos libaneses: Tabuleh, Humus, Kafta, Baba Ganoush, Kibe...






Tambèm provei pela primeira vez fumar a famosa Shisha (ou Narguile) e beber o chà verde com folhas de menta.



Foi um constante "descobrir coisas", voltei de là apaixonada.
Tive liçoes de pao argelino e trouxe para casa a panela especial para fazer-lo, e faço sempre que posso pois è tao facil!





A diversao dos finais de semana para quem està em Oran, è ir para a montanha e fazer piquenique pois là de cima se pode apreciar toda a cidade que è muito bonita.


 

Jà para quem gosta de uma aventura fora da lei (rs), pode ir assistir na beira mar uns loucos que empinam as sua motos em plena avenida!



E meu marido dizendo:"I love this place!" Por que serà? hahahahaha



E pra finalizar, uma coisa que sempre gostei, sao as musicas àrabes!
Voces lembram do Khaled*? Eu sim! Eu tenho CD do Khaled na casa da minha mae... e quando contei ao Imad que eu conhecia o cantor mais famoso da Argèlia ele ficou assim oh:  *___*  besta... ele mal sabia que tocava El Arbi na novela da "Globus" :P
E o pior... ficou bobo quando eu mostrei que sabia dançar como os àrabes!!! Olhem sò:







hahahaha
Atè a proxima pessoal!

4 comentários:

  1. lindos amei agora posso fazer meu trabalho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maravilha! Se precisares de mais informaçoes! Estamos ai! :)

      Excluir
  2. Amei... me senti na Argélia em cinco minutos rs Obrigada por compartilhar essa aventura

    ResponderExcluir

Obrigada por expressar a sua opiniao!