sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Viagem ao improviso


Setembro - Outubro fomos fazer uma "viagenzinha" de trabalho a Bucarest.
Normalmente vamos de aviao, mas essa vez decidimos nos aventurar em uma "eurotrip" de carro, considerando que a estadia seria por tempo indeterminado.
Saimos da Italia num sabado as 4 da manha, enchemos o carro com metade da nossa casa (leia-se: panelas, eletrodomesticos, todos os casacos de inverno, guitarra, computers... tudo!!!

O carro foi taoooo lotado que nao conseguiamos utilizar o retrovisor interno (super "familia buscapè"), e mexer as pernas entao... nem pensar!
No primeiro dia , subimos a Italia inteira (estamos no Centro Norte) atè Udine (Norte), onde cruzamos a fronteira com a Austria.
Lindissima a viagem!!!!

Quem teve a oportunidade de fazer esse trajeto, sabe que a estrada è maravilhosa, com tantos banheiros publicos gratuitos PERFUMADISSIMOS e limpissimos!
Nòs paramos a cada 400 km de estrada porque è uma viagem muito cansativa, e nosso objetivo era chegar em Erd (na Hungria) là pelas 18 hrs, jantar e dormir.

Marido dirigiu todo esse trajeto, emquanto eu controlava as fronteiras para comprar as "Vignette" (que sao uns selos obrigatorios para colar no para-brisas do carro, e te permite utilizar a autoestrada e tudo quanto sem pagar nada), co-pilotava com ele olhando o GPS e mudava a trilha sonora de acordo com as emoçoes do momento! rs

Ja tinhamos saido da Italia com o Hotel em Erd reservado (era mega pertio de Budapest, que eu queria tantoooo conhecer) entao fomos com toda a tranquilidade do mundo.
Na fronteira da Austria nao teve nenhum tipo de controle, tivemos que comprar um extintor de incendio, um kit de primeiros socorros e a vignetta de € 7.00 (se nao me engano) e tudo isso pra nada! OK!
Marido se estressou megaaaa na passagem pela Austria, visto que as auto-estradas europeias te permitem andar a 130 km/h, e là alèm de um milhardo de radares de velocidade, tinhamos que andar a 90 km!!! Um martitio!!!

Fomos cantando, felicissimos, conversamos sobre mil assuntos que no dia a dia nao temos a oportunidade de falar, descobrimos coisas "obscuras" de nòs dois! hahaha
Foi muito bacana esse contato que, nesses 6 anos de relacionamento nao tivemos. Nao dessa forma, visto que o quotidiano limita tanto o repertorio de conversas.
Melhor terapia de casal? Viajar de carro! rssss

 

Da Austria e da Hungria nao tenho muito a dizer, visto que nao paramos para fazer turismo e a viagem a frente era muito longa. Passamos pela auto-estrada e pronto.
Dormimos em um hotel de caminhonistas (Bichinha em todas tà pessoal??? Que cachorrinha maravilhosa, paciente e tranquila que temos!), comemos um monte em um "All you can eat" dentro do hotel (€ 14.00 em dois com bebeida inclusa), tinhamos HIDROMASSAGEM no quarto... e tudo isso por apenas € 60.00!!!



No segundo dia fizemos Eslovenia / Romania.
Na Eslovenia a mesma coisa... porem ja começamos a ver um pouquinho a diferença entre a Europa e o Leste Europeu.
Pra começar as placas IMPRONUNCIAVEIS!!! (na Hungria tambem!) O GPS indoidou e nao conseguia nem ele pronuciar o nome das cidades que eram tipo:

"Sair da auto-estrada em Harvrhksiolmlmldosski e a direita entrar em Opfstsnaikalcnuuankaoski"
hahahahahahaha Acho que fotografei umas mil placas, porque fiquei impressionada com a existencia de palavras daquele genero!!!



Montanhas de feno, casas tipicas com telhados estranhos. Muito bonitinha a Eslovenia.
Muitas carroças pelas estradas, as cidades que passamos eram muito de interior.




A um certo momento tivemos que parar para comprar pao pro nosso almoço, e marido me fez descer sozinha.
Entrei no "mercadinho" em leggings, top e um cardigan e VAPT: em 5 segundos o mercado encheu de homens, que tentavam me ajudar a escolher o melhor pao da cidade kkkkk
Por sorte um falava ingles e me ajudou com o preço, e me deixaram passar na frente de todo mundo.

Acho que atè hoje naquela cidadezinha devem falar da "garota estrangeira" com o tenis rosa choque e roupas de ginastica ali perdida... rs

Continuamos a viagem atè chegar em Nadlac. Onde compramos a ultima vignetta (a cada pais se compra uma vignetta... entao compramos: Austria, Hungria, Eslovenia e Romania temos de 1 ano por razoes obvias!)
E ali pela primeira vez alguem nos parou! A policia romena quis ver nossos documentos e pediram para abrir o porta bagagem. E tudo ok.

Lemos que NAO deveriamos pegar a auto-estrada para Bucarest (mesmo que estivessemos indo pra la), pois nao era legal fazer esse trajeto. Eu ia co-pilotando o marido e ele nao me escutava (homens!!!) e onde ele foi parar???
Na auto-estrada para Bucarest!

Eu soltei uns mil "MADONNA" "MAMMA MIA MAMMA MIA" e ele seguiu contente da sua escolha, atè que... acabou a auto-estrada e entramos em uma estrada de merdaaaaaa sem sinalizaçao, sem iluminaçao, sem nada!!! Perdidos na campanha romena...
OK... "Eu falei! Eu disse pra vc"...(rsss mulheres!!!)
Seguimos o GPS, e depois de bem 14 horas chegamos a Bucarest.

Bucarest è divisa em setores (regioes) que vai da 1 ao 6. Imaginem uma fatia de pizza?
Nossa base è na Bulevard Unirii no Setor 3, mas para aquela noite, eu tinha reservado esse famoso loft no setor 1 (que nao è tao legal assim) mas chegariamos por ali, e por mil razoes era melhor dormir ali que ir ao setor 3 (20 minutos dali - mas que è mais complicado achar estacionamento).
Chegamos la, e conhecendo bem a Romania (perigosa que sò), tiramos tudo de dentro do carro (entenda-se caixas, malas, e mil coisas). Fomos tomar banho e jantar.

Dormimos, mega cansados e no dia seguinte fomos na reuniao que tinhamos (isso na segunda).
Quando voltamos, antes de irmos pro Setor 3 me joguei na cama (que tinha uma janela pra rua e a porta de entrada do lado) e foi quando vi duas sombras descendo as escadas. Pensei com meus botoes: "ok... vizinhos", mas eis que vi atraves da cortina que estavam vindo pro nosso apt.
Achei estranho e fiquei bem quietinha na minha, e foi quando esses dois caras começaram a tentar espiara pela janela e abrir a porta.

Nossa fiquei terrorizada!!! A sorte que Massimo estava comigo, senao teria literalmente me borrado toda.
Os caras desistiram e foram embora.

Dessa vez, o fato de estar longe do setor 3 (que è o mai elegante de Bucarest) tive a oportunidade de conhecer outra face de Bucarest (nao quero nem saber o que tem em volta!!!): a face dos "ROM" (ciganos) que ficam no meio da rua, importunando as pessoas, na porta dos edificios, flanelinhas (um pouco piores q no Brasil)... sei la....
Me bateu um desespero!!! Uma inquietude...

Enquanto estavamos ali procurando alguns imoveis com o corretor, fomos em diversos setores, e vimos muitassss coisas que me desagradaram.
Mas estava procurando de ter uma atitude otimista, visto que nao è nosso primeiro investimento la.
Mas meu restaurante, o lugar onde tenho que passar praticamente 12 horas do dia... tem que ser um lugar que eu esteja bem, e nao um lugar que me traga medo e insegurança.

E entao eis que toca o telefone do marido, e marcam a viagem dele para 5 dias depois...
Naquele momento nao aguentei, comecei a chorar e dizer para ele que eu ia embora pra Italia, e nao iria ficar ali sozinha, com aquela gente, aquela lingua do capeta, transito caotico (em Bucarest tem mais carros do que vagas, e os edificios nao possuem garagem... entao o povo estaciona na calçada, um em cima do outro, vc estaciona, 5 segundos depois alguem te bloqueia e vc pode ficar ali bloqueado por horas e ate mesmo por dias... sem tirar teu carro!!! quem quer viver assim???)

Ai sei que tivemos que desmarcar todos as visitas, pegar nossos trapos e voltar correndo pra Italia (dois dias de viagem novamente) e acabou a historia! rs

Nao deu certo!
Dessa vez Bucarest se revelou de um modo muito triste. As pessoas sao tristes, mal educadas (fomos expulsos do Carrefour - carrinho cheio de compras - porque uma funcionària viu que a Bichinha estava dentro da minha bolsa e começou a gritar com a gente fazendo escandalos, a gente nao entendia nada e foi uma situaçao horrivel - pensei de ser linchada), muitos ciganos na rua (e acreditem... dà medo) e tantas outras diverdidades negativas.

Nao è o lugar pro meu restaurante! Nossa base continua sendo là, mas quero que meu local seja em um lugar mais tranquilo. Nao sei se serà na Italia... de repente nao, mas sei que nao vou fazer nada com pressa.

A viagem de volta foi infinita... eu dirigi por 800 km e marido por 1.000 km. Paramos no mesmo Hotel a Erd, e continuamos no dia seguinte. E pela primeira vez nesses 6 anos, foi maravilhoso voltar na Italia rsssss





6 comentários:

  1. Ohhh Carol, desculpa aí, mas esta viagem de negócios foi por causa do restaurante? Vcs querem se mudar da Itália? Por que pensaram em Budapeste? Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nao Eliana! Na verdade fomos resolver outros negocios. E unindo o util ao agradavel fomos investigar o campo para o restaurante. Tinhamos alguns restaurantes para visitar, mas como aconteceram todas essas descobertas desistimos. rs

      Excluir
    2. Ahhh tá, entendi, foi uma sondagem! rs É, pra quem tá querendo abrir um negócio, deve se considerar as possibilidades, o tipo de local, o público alvo...enfim é realmente uma pesquisa e tanto! Mas como vc é danada, logo logo as coisas se concretizam! Bjs

      Excluir
    3. Isso ai!!! Se Deus quiser vou achar o meu norte! A Romania com certeza nao è! rs
      Bjsss

      Excluir
  2. Carol, é chocante! Que lugar pavoroso. Não sou muito fã de Romenos, quem quiser ser politicamente correto e dizer que é preconceito e o escambau que seja, continuo não gostando muito desse povo, kkk. Boa sorte com seu restaurante, que você encontre o local adequado para ele e que seu negócio prospere. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na Italia eles sao odiados ne! Porque incrivelmente muitos (nao todos) dos que vem pra cà so fazem merda.
      Mas incrivelmente, là... eles andam pianinho porque sabem que a lei è mais rigorosa. Na Italia è tudo oba oba.
      Obrigada... dessa vez vou usar todo tempo disponivel para fazer boas escolhas. :)
      Bjs

      Excluir

Obrigada por expressar a sua opiniao!