segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Ser mãe muda tudo



E então que são 6:35 da manhã de uma das 300 manhãs que se passaram desde que me tornei mãe!!!
Pois é, daqui há 2 meses Tiago completa um ano... E tem exatamente 8 meses que não apareço por aqui.
E por quê? Porque ser mãe muda tudo!
Mudam os horários, os hábitos, as escolhas, as relações...
E a gente passa a dar prioridade em TUDO a essa criaturinha que nasceu!
Quero contar de cada etapa que se passou, mas seria um post longuíssimo, então primeiro quero falar como a maternidade é uma coisa estranha.
Calma!!! Não no sentido negativo, embora as vezes também!
Tiago é uma criança adorável. Bem humorado, tranquilo, concentrado, inteligente. As vezes me surpreendo das coisas que ele faz!
Mas isso não significa que ele seja perfeito o tempo todo (tem gente que quer filhos perfeitos, não é o meu caso!)
Tem noites que ele dorme todinha (mama de vez enquando), tem noites que eu desejo morrer a enfrentar um bebê que fica resmungando...
Quando o Massimo não está em casa então é tudo mais difícil... Tomar banho, fazer comida, descansar...
Mas não é que ele estando em casa mude tanto... E eu vou resumir o todo dizendo só uma palavra: "homens"!!!
Mas ser mãe, não mudou só esses aspectos da minha individualidade. Mas mudou também tantas convicções do meu estilo de maternage.
Voltando a essa manhã, quando comecei a escrever esse post, queria descrever uma coisa que ilustra completamente essa mudança que se processa em toda mulher (pelo menos quase todas).
Eu sempre disse que Tiago não assistiria TV, e de fato, desde que ele nasceu que eu não ligo a TV (logo eu, viciada nesse aparelho!). Mas nas manhãs em que Tiago acorda muito cedo, tipo hoje, as 5:00, eu ligo no canal infantil próprio para a idade dele (hein??? Eu sei que não existe isso!!! TV antes dos 3 anos causa danos nos desenvolvimento infantil é isso é comprovado) e consigo dar uma descansada de 30 minutos, embora ele nem "tchuns" pra TV graças a Deus!
Por isso que muitas vezes você vai escutar uma neo mamma dizer que "pagou com a língua". Porque é assim!!!
Você pode ter uma linha de maternage muito definida, mas ser mãe te ensina que a perfeição não existe nessa estrada, e que muitas vezes a gente cede.
Seja pelo cansaço, seja por uma criança que choruminga e você não tem forças naquele dia para combater contra.
Ser mãe cansa, e cansa muitoooo!!! E você pode ter um filho santo igual ao meu, e vai cansar igualmente.
Porque o sono nunca mais será o mesmo (ele pode dormir 12 Hrs direto, mas meu monitor fit diz que eu durmo no máximo 6 Hrs das quais só 1 HR de sono profundo).
Tiago começou a engatinhar com 3 meses e meio (sim, e não é história pra boi dormir... Quando minha mãe veio a Itália (siiiiim ela veio!!! E foi maravilhoso) Tiago já se rastejava por toda a casa!!!
Com 4 meses ele já estava de pé se segurando na borda da cama, do sofá...
Agora com 9 meses e meio ele ainda não caminha sem apoio, mas gira por todos os cômodos da casa, alternando "caminhar apoiado nas paredes e móveis" e engatinhar modalidade Ayrton Senna do Brasil!!!
Sobe e desce dos móveis, se larga e dá 2 passos e cai eu fico como???
Morta!!!!
Mas tudo isso faz parte do desenvolvimento, e eu não posso pretender que seja diferente.
Minha alegria ver cada dia ele aprendendo uma coisa nova.
Se você me perguntar se eu recomendo ser mãe, eu te respondo: NÃO! (Opa!!!)
Ao menos que você já esteja em paz com as suas conquistas da vida e esteja consciente de que NUNCA MAIS será igual.
E então, eu tô feliz com a minha escolha??? MUITO!!!
Eu sempre soube que não seria fácil! E cada vez que ele acorda de noite e eu tenho que levantar grogue para ninar ele, eu penso: "putz, eu quero dormirrrr..." Mas aí olho aquele pacotinho nos meus braços e penso como Deus foi maravilhoso em me presentear com uma benção tão grande!
E aí vem uma força física, mental... E eu parto em 5 marcha denovo!!!
Ser mae muda tudo. Pra melhor e pra pior. E até o pior é bom, porque nós tornamos altruístas, generosas e pacientes (um pouco menos com os maridos kkk).
Mas também muda a relação da cópia pra melhor (no começo é tenso, porque são muitas mudanças que sobrecarregam a mulher e o homem não tem consciência disso), porque você vê o fruto do teu amor realizado em uma pessoinha e não existe nada mais belo no mundo.
Tem muitos casais que não suportam a mudança, e aí surgem problemas que ao meu ver existiam e estavam so escondidos embaixo do tapete.
Mas quando o amor é genuíno, o nascimento de um filho te faz finalmente visualizar esse sentimento de forma concreta.
Então é isso... Não posso me prolongar mais porque o dever me chama rsss
Mas prometo tentar escrever todas as manhãs porque tenho tanta coisa pra contar.
Um beijo em todos

2 comentários:

  1. Carol, adorei o Post e concordo com o que você relatou de que ser mãe é só pra quando se realmente pode e há vários fatores a se considerar. Do resto só posso imaginar mesmo, pois não sou mãe. Mas espero poder acompanhar a série de Posts sobre o assunto.

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que bom vir aqui e ver que deu notícias. Eu estava mesmo pensando que logo o seu menino vai fazer o primeiro aniversário. Olha, seu texto é muito legal. Sincero, realista...sim, tem os dois lados e tem muita gente que só conhece o lado romântico de ser mãe, de ter um bebê fofo e risonho rs O buraco é mais embaixo hahaha E muita gente não aguenta o tranco porque subestima o que é a escolha de ter um filho. É lindo, é...mas será um trabalho pra vida toda! Como diz aquela frase:"filhos, melhor não tê-los! Mas se não tê-los, como sabê-los?" rs Um beijo grande aí em vcs!

    ResponderExcluir

Obrigada por expressar a sua opiniao!